Contronic Tecnologia para Diagnósticos
Instituto do Sono de Santa Maria
Doctus Equpamentos Médicos
OBSTRUÇÃO NASAL, RONCO, ROUQUIDÃO, ENGASGOS ELETROFISIOLOGIA DA AUDIÇÃO,TERAPIA FONOAUDIOLÓGICA, FISIOTERAPIA LABIRÍNTICA DOR DE GARGANTA, DOR DE OUVIDO, APNÉIA DO SONO EMISSÕES OTOACÚSTICAS, AVALIAÇÃO DO PROCESSAMENTO AUDITIVO CENTRAL POTENCIAIS EVOCADOS MIOGÊNICOS VESTIBULARES ( cVEMP e oVEMP)  MEDICINA DO SONO, AUDIOLOGIA, OTONEUROLOGIA OTOLOGIA, LABIRINTOLOGIA, RINOLOGIA, LARINGOLOGIA. SURDEZ NA CRIANÇA E NO ADULTO, LABIRINTITES, DESEQUILIBRIO CORPORAL, PERFURAÇÃO DO TÍMPANO AUDIOMETRIA, IMITANCIOMETRIA, REFLEXO ESTAPEDIANO REABILITAÇÃO LABIRÍNTICA COM REALIDADE VIRTUAL, TERAPIA DA VOZ E DO  PROCESSAMENTO AUDITIVO VECTONISTAGMOGRAFIA, VIDEONISTAGMOSCOPIA

Orofaringoscopia

Exames realizados com tubo de 7,0 mm de diâmetro, visão 30 graus, colocado através da boca na garganta do paciente.
Este exame é a parte inicial da videolaringoscopia, onde se pode avaliar o palato, amigdalas palatinas, base da língua e valéculas.
Abaixo mostramos algumas fotos obtidas a partir de imagens de vídeo S-VHS.
Todas as imagens foram obtidas na Clinica Cóser.

Hipertrofia das amigdalas
Dor de garganta por amigdalite bacteriana
Dor de garganta por mononucleose
Dor de garganta por abscesso periamigdaliano.
Dor de garganta por estomatite herpética
Dor de garganta por amigdalite lingual
Dor de garganta e corpo estranho
Dor de garganta por tumor maligno
Dor de garganta associada ao HIV
Dor de garganta e halitose pelo caseum
Sensação de ter uma “bola que sobe e desce” na garganta.

1)Hipertrofia das amigdalas

As amigdalas (tonsilas palatinas) são estruturas situadas na parte lateral e posterior da cavidade bucal. O problema mais grave que podem ocasionar é a obstrução da via aérea com suas consequências sobre o sono a criança, seu desenvolvimento estatural e intelectual.

114 Orofaringoscopia

Voltar ao topo ^

Acima vemos acentuada hipertrofia das amigdalas palatinas que levam ao indivíduo a roncar, ter apnéias (paradas respiratórias), baixo desenvolvimento estatural e sonolência excessiva durante o dia com repercussão sobre a capacidade de atenção em sala de aula.
2)Dor de garganta por amigdalite bacteriana

A dor de garganta é muito frequente na infância. Ela tem várias causas e cada uma tem seu tratamento específico. Abaixo vemos um caso de amigdalite bacteriana.

214 Orofaringoscopia

Amigdalite aguda com “placas”, acompanhada de dor intensa na garganta e febre de 39 graus Celsius ou mais é, na grande maioria das vezes, causada por bactérias e requer tratamento com antibióticos.

Voltar ao topo ^

3)Dor de garganta por mononucleose

A amigdalite causada por mononucleose (viral) não tem muita diferença com o aspecto de uma amigdalite bacteriana, como no caso abaixo.

313 Orofaringoscopia

Na mononucleose a febre não passa de 38,5 graus Celsius, o pescoço apresenta múltiplos linfonodos aumentados (caroços) e os sintomas não melhoram com o uso de antibióticos e costumam durar mais que uma semana.

Voltar ao topo ^

4)Dor de garganta por abscesso periamigdaliano.

O abcesso periamigdaliano é uma complicação da amigdalite bacteriana. Caracteriza-se pelo agravamento unilateral da dor de garganta, a deglutição fica quase impossível, falar fica doloroso e a boca pode ficar difícil de ser aberta.

413 Orofaringoscopia

O abcesso periamigdaliano, na maioria das vezes, requer a drenagem atrás de uma pequena incisão no palato mole e um dos motivos indiscutíveis para fazer amigdaletomia após controlado o processo infeccioso e inflamatório.

Voltar ao topo ^

5)Dor de garganta por estomatite herpética

A estomatite herpética, causada pelo herpes virus, é intensamente dolorosa e de instalação súbita.

613 Orofaringoscopia

Observe-se que neste caso as ”placas” (na verdade múltiplas pequenas ulcerações) não respeitam os limites das amigdalas e aparecem outros locais da mucosa a boca e faringe. Não tem indicação para o uso de antibióticos e o tratamento é baseado na adequação da dieta e em medicações analgésicas e antivirais.

Voltar ao topo ^

6)Dor de garganta por amigdalite lingual
Alguns pacientes se queixam de uma forte dor de garganta, acompanhada de febre alta, sem sintomas nasais. Estes sintomas fazem o diagnóstico de amidalite bacteriana ser a primeira hipótese…Entretanto o exame das amigdalas palatinas é normal.

712 Orofaringoscopia

812 Orofaringoscopia

95 Orofaringoscopia

Em casos como esse, a laringoscopia faz o diagnóstico de amigdalite lingual aguda, como nas fotografias acima.

Voltar ao topo ^

7)Dor de garganta e corpo estranho

Entre os corpos estranhos que costumam aparecer na garganta, a espinha de peixe é, de longe, o mais frequente.

103 Orofaringoscopia

Em muitos casos o corpo estranho machuca a garganta, é deglutido e não se encontra mais na garganta por ocasião da consulta. Fica difícil para o paciente diferenciar uma coisa da outra. Ajuda muito pedir ao paciente que aponte, com 1 dedo, onde está doendo. Caso ele mostre uma região bem específica, sem nenhuma dúvida, é praticamente certo que ainda tem o corpo estranho. Neste caso ele aponta para a face lateral e alta do pescoço que remete a busca pelo corpo estranho na amigdala ou proximidades

115 Orofaringoscopia

Neste outro caso, aponta para a linha média, na parte alta do pescoço, o que remete a busca do corpo estranho na valécula ou base da língua.

Voltar ao topo ^

8)Dor de garganta por tumor maligno

Os tumores malignos causam uma dor localizada, como no caso do corpo estranho. Esta dor começa fraca e com o tempo vai se tornado cada vez mais forte. Uma vez que aparece, não desaparece mais e dura até o diagnóstico ser feito dias ou semanas depois. Não é acompanhada de febre.

123 Orofaringoscopia

Observe-se a lesão ulcerada na base da língua, junto à epiglote.

Voltar ao topo ^

9)Dor de garganta associada ao HIV

A dor de garganta que é decorrente de uma ulceração na mucosa da boca ou faringe com caraterísticas inflamatórias, que dura mais de duas semanas deve nos fazer pensar, entre outras hipóteses, que a baixa imunidade decorrente da AIDS possa estar relacionada.

133 Orofaringoscopia

Este paciente tinha dor de garganta localizada com mais de 30 dias de evolução. Apenas com a laringoscopia é que se pôde visualizar esta úlcera. Este foi seu primeiro sintoma de AIDS, que até então não sabia ser portador.

Voltar ao topo ^

10)Dor de garganta e halitose pelo caseum

O caseum é uma secreção espessa, branca, mal cheirosa, que se apresenta como “placas” nas amigdalas, que as vezes são eliminadas espontaneamente ou pela manipulação do local pelo próprio paciente. Elas se originam pelo acumulo de secreções mucosas e restos alimentares que se depositam nas criptas amigdalianas.

143 Orofaringoscopia

O caseum não é causado por infecção, por isso quando múltiplas “placas” como a que se vê acima são visualizadas em uma ou nas duas amigdalas não se pode cometer o engano de pensar que se trata de uma amigdalite bacteriana. A diferença se faz pela ausência de febre, pela dor que é muito menos intensa ou, como na maioria das vezes, ausente.

Voltar ao topo ^

11)Sensação de ter uma “bola que sobe e desce” na garganta.

A sensação referida pelo paciente de que tem uma bola que sobe e desce na garganta tem sido relacionada a problemas de natureza emocional e mais recentemente com refluxo ácido faríngo-laríngeo (que pode causar sintomas isoladamente ou em combinação com azia típica do refluxo gastro-esofágico).

153 Orofaringoscopia

163 Orofaringoscopia

Às vezes a tal bola existe mesmo! Como neste caso de um imenso cisto de valécula.

Voltar ao topo ^

Aqueles que queiram utilizar as imagens:

-Solicitamos que nos informem (cursos@clinicacoser.com)

-Agradecemos se mencionarem a fonte.

Pedro Luis Cóser, janeiro de 2011.
Texto adaptado dos termos de consentimento da FORL – São Paulo – BR

 
 
  • Leia sobre doenças e sintomas

  • Assuntos mais Abordados

  •